Façamos as pazes com A Vida ! Deixando de : Querer que as pessoas mudem para fazer nosso mundo melhor. Sentir raiva daqueles que não nos aceitaram como somos.Ao invés disso,aceitemos não sermos aceitos ,em liberdade de, também,não aceitarmos o que não nos faz bem ! Agradarmos para sermos agradados. Buscar fora o que nem encontramos dentro de nós. Amar sob condicional e não incondicional ! Fugir de nossa solidão por não sermos companheiros de nós mesmos ! Ter medo do outros,quando na verdade tememos nós mesmos ! O que se esconde em nossas sombras e temos medo de encarar. De julgar o mal no outro,pois,em nosso interior vivem muitos habitantes,não só bons,mas também,maus. Dessa forma,compreenderemos o mal alheio . Esconder os monstros que temos alimentado ,que mais cedo ou mais tarde, irão se rebelar dentro de nós se revelando ,mesmo os reprimindo ! Usar máscaras para nos relacionar com os outros . Quanto mais verdadeiros somos com os outros ,mais seremos conosco mesmo. Fingir que está tudo bem ,quando nosso mundo está desmoronando . O caos faz parte da ordem,também ! Acreditar que só pensar positivo mudará nossas Vidas .Não somos só pensamento Temos outros veículos de criação e expressão. Crer que mentalizar positivo vai melhorar nossa realidade .O que é positivo para nós pode ser negativo para os propósitos da Vida, como um TODO ! Esperar reconhecimento,quando nem sequer conhecemos nossas potencialidades e do que somos capazes ! Buscarmos amor,quando só necessitamos sermos AMOR ! Querer que a Vida seja melhor ,quando nem nós somos ! Querer tanto da Vida e viver pouco ,desperdiçando nossa existência com os problemas que nós mesmos criamos ,por não compreender que a Vida só espelha o que somos e não o queremos ! Por Deise Aur


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sejamos como as crianças e os animais ! // Texto de Flavio Siqueira // Não seja agnóstico, nem ateu, nem cristão, nem budista, nem teísta, nem humanista, nem capitalista, nem comunista, nem nada que lhe roube a liberdade para crer, descrer, construir e, se for o caso, desconstruir. Ande com as próprias pernas ou quem sabe voe com suas próprias asas. Que a paz seja seu árbitro na caminhada e a consciência a estrada que lhe projeta sobre o caminho do entendimento e da liberdade. Sejamos como as crianças, os animais, os simples de coração. Eles não tem “ismos” nenhum, não defendem nenhuma tese, nem doutrinas, não se incluem em teoria alguma, no entanto seguem puros em sua ignorância iluminada, na paz de quem sabe, mesmo sem saber que sabe. Felizes, pacificados, alheios às nossas tolas filosofias e discussões, atentos em simplicidade ao que realmente importa. Sejamos livres ! - flaviosiqueira.com

INFINITA PRESENÇA