SIMPLESMENTE VIVER... - Por Deise Aur Vivemos em tempos que, amigos são virtuais, prazer é consumir e ter, conhecimento se obtém no Google. Nada se aprofunda, temos acesso à mais informações, que nosso cérebro pode assimilar. Nossa existência é baseada na individualização, onde se busca segurança e liberdade, em um mundo de incertezas, onde o material se sobrepõe ao humano. Sobre a fluidez de nossa modernidade, diz o sociólogo, “Zygmunt Bauman”: _ “Estamos todos numa solidão e numa multidão ao mesmo tempo”. Nesse paradoxo vivemos, entre a necessidade de uma vida simples, que unicamente buscamos ser amados e expressar nosso amor e a complexidade de um mundo moderno, no qual as pessoas têm medo da convivência, de se aprofundarem em relacionamentos e mostrarem quem, realmente, são. Para nos anestesiar desse antagonismo, buscamos as redes sociais, o consumismo, as celebridades e a autoajuda. A vida passa, e ficamos carentes de nós mesmos, pois nos distanciamos da simplicidade de nossa Essência. A complexidade de um mundo fragmentado e superficial, passa a reger nossa existência. Então, ficamos desconectados de nosso Verdadeiro Ser, de nossa Natureza Íntima, sentimos um vazio! Refletindo sobre isso fiz um vídeo, intitulado: ”Simplesmente, SER! ” Acredito que a Simplicidade é o Caminho, mas para isso, precisamos enxergar o que nos impede de segui-lo! Segue o link do vídeo:-

https://www.youtube.com/watch?list=PLOMIh2WER5VP-HyVKXrNlbbBh8t9Q-5Et&v=jlJ2UzIZtQE                                                                                            
Você que já acompanha os conteúdos desse blog,conheça ,também, a página A Vida nos fala no Facebook:-https://www.facebook.com/avidanosfala/?fref=ts

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sejamos como as crianças e os animais ! // Texto de Flavio Siqueira // Não seja agnóstico, nem ateu, nem cristão, nem budista, nem teísta, nem humanista, nem capitalista, nem comunista, nem nada que lhe roube a liberdade para crer, descrer, construir e, se for o caso, desconstruir. Ande com as próprias pernas ou quem sabe voe com suas próprias asas. Que a paz seja seu árbitro na caminhada e a consciência a estrada que lhe projeta sobre o caminho do entendimento e da liberdade. Sejamos como as crianças, os animais, os simples de coração. Eles não tem “ismos” nenhum, não defendem nenhuma tese, nem doutrinas, não se incluem em teoria alguma, no entanto seguem puros em sua ignorância iluminada, na paz de quem sabe, mesmo sem saber que sabe. Felizes, pacificados, alheios às nossas tolas filosofias e discussões, atentos em simplicidade ao que realmente importa. Sejamos livres ! - flaviosiqueira.com

INFINITA PRESENÇA