*Um anjo chamado Brancão *

Brancão uma pessoa canina  que me acompanhou durante 13 anos.Nasceu em casa cuidei dele junto com sua mãe ,chamada Dara.Brancão foi crescendo e aprendendo com Dara a latir para os estranhos que passavam na rua ,e,aos poucos ,se tornava uma exuberante cachorro,altivo,pelo seu porte,mas puro no olhar e de temperamento calmo,se aproximava de mim com um jeito doce e protetor,Vi ele recém-nascido,e acompanhei todas suas fases,mamando em sua mães,desmamando,aprendendo a comer,correndo atrás de seus irmãos,brincando de lutinha (de lutar ),aprontando ,dentro de casa com objetos ,livros e cadernos,mordendo e até devorando.Brancão esteve sempre do meu lado,quando estava triste,ficava quieto,perto de mim,quando eu estava alegre,ele ficava atento à me olhar e eu brincava com ele de mexerem suas patonas,fazendo ele saltitar.Brincava ,também,de me esconder para ele me procurar.Era pacífico,ao envolvia em briga ,sendo que sua mãe e irmã,ás vezes se desentendiam,entre si,ele só ficava olhando.Ele era muito compreensivo,não teimava ,quando queria que ele fizesse algo,só uma coisa ,ele não fazia sem ,eu ter que usar de artimanhas,era tomar banho,mas depois,aceitava,já que não tinha outro jeito.Quando eu chegava do serviço,lá vinha Brancão  me receber,saltitando e abanado o rabão. Entravamos juntos e animados em  casa.Uma coisa ,que  deixava Brancão com medo era o barulho de fogos,com aquele corpão del,se enfiava debaixo da cama e lá ficava quietinho,até passar.Foi passando o tempo,sua mãe e irmãs foram partindo,e da família ,só ficou o Brancão,mas viviam em outro espaço da casa ,outras pessoas caninas,que tirei da rua e conviviam como uma família e irmãos,Estes passaram à viver juntos com Brancão.Foi uma nova fase de vida para mim e o Brancão,mesclada com tristeza pela partida de nossas amadas peludas,cada uma à seu tempo,com a alegria de ter novos amigos e companheiros.Brancão e os novos irmãos,já estavam na maturidade,e os corpinhos,dando sinais que estavam tendo problemas de saúde .Um dos irmão Totokim ficou doente,e veio à falecer.Brancão deitava perto dele,parecia entender que ele estava frágil e precisava de solidariedade,companhia e conforto.Foi uma fase muito triste ,para nós,Brancão e as irmãs expressavam em sua quietude ,sentir essa tristeza e perceber que eu estava triste.Com o tempo,Ao completar treze anos,sérios problemas de saúde começaram a aparecer em Brancão,ele começou a emagrecer,tossir e era uma tosse que não sarava,após vários exames,ele foi diagnosticado com tumor pulmonar.Daí vivi uma das fases mais difíceis de minha vida.Ver meu meninão sofrer ,sentir dor e falta de ar,mesmo sendo medicado,foi doloroso para mim,queria estar no lugar dele,para não ver ele passar por isso.Antes,dele entrar neste estágio mais crítico da doença,passei a eternizar cada momento que tina com ele.Não saia de casa,só por extrema necessidade,deixei de trabalhar fora,passei à viver ,integralmente ,para estar do lado dele,cuidar da alimentação dele,dar as medicações no horário,fazer carinho,quando ele não se sentia bem.Até os três dias anteriores à sua morte,ele comia bem,embora seu corpinho já estava se enfraquecendo pela doença.Dormíamos todos no colchão da sala, e o cobria,para não tomar friagem ,devido ao inverno.Procurava animá-lo com biscoitinhos e legumes ,pois,ele adorava e comia bem.Eu me alegrava ,de vê-lo degustar com gosto seu lanchinho ou suas refeições.Mas ,três dias ,antes ,dele falecer,ele parou de comer,não conseguia levantar,sentia muita falta de ar.Tive que levá-lo à Clínica ,e,lá ficou internado.A veterinária que atendeu o Brancão ,de emergência, ,disse,que era melhor eutanásia-lo,não tive coragem,pois,após ,as medicações,ele reagiu e comeu os biscoitinhos que lhe dei,embora ,ainda estive fraco e com falta de ar.Tive que deixar ele internado ,com dor no coração,pois,até então ,nunca havíamos nos separado. A veterinária , que trata dos internados,disse,que o estado dele era grave ,mas poderíamos fazer mais exames, para ver a evolução do quadro dele e ter certeza do que precisaria ser feito..Quando sai da sala, que ele estava,disse que à ele, que iria no mercado ,como fazia em casa e seus olhinhos me acompanharamao sair da sal,onde ele estava.Lá ele ficou no oxigênio ,com sonda e tomando medicação pela veia.Quando voltei para casa ,meu corpo veio,mas ,minha alma estava ,lá com ele.No dia seguinte,fui vê-lo ,nos dois  horários da visita ,e,ele continuava na mesma.O olharzinho triste e cansado,mas os olhinhos inquietos vendo tudo que acontecia à sua volta e sem entender direito,o que estava acontecendo,que lugar era aquele.Eu conversava com ele,queria  saber qual era a vontade dele,mas,não conseguia entender sua resposta.A veterinária disse,que o estado dele era grave , e,os exames,que já haviam sido feitos , mostravam  o avanço da doença e o comprometimento dos órgãos.Perguntei se ele havia comido ,e ela ,disse ,que sim.Conversei,novamente,com o Brancão,mas,não conseguia ouvir sua resposta,acho que,não entendia direito o que ele queria me dizer. A doutora me disse ,que poderíamos fazer mais No dia seguinte fui visitá-lo e o exame apontava para um grande comprometimento do coração e de outros órgãos ,ou seja ,outros tumores em outras partes do corpo,neste dia Brancão não quis comer,estava com um olhar enevoado,e,inquieto,vi que ele pedia para descansar.Entendi ,que precisava vencer essa minha resistência e intervir,pelo bem de meu amado Brancão.Conversei com ele,agradeci por todo amor e alegria,que ele me deu,disse que ,nosso amor é eterno,pedi perdão por minhas falhas ,e ,disse que ,ele iria ficar livre de tudo que estava fazendo sofre ,que iria ficar ,verdadeiramente,curado e bem.A doutora me explicou como seria o procedimento,coloquei a cabeça do Brancão ,em meu colo ,e,quando ela deu a injeção ,ele ,descansou daquele sofrimento.Só chorei quando ele se foi.livre para a Eternidade ,mas agora leve como um Anjo que sempre foi! Meu AMOR ETERNO,continua vivo ,mas agora livre e  curado !

Comentários