O amanhecer e anoitecer da existência.


O amanhecer e anoitecer da existência

Têm momentos em nossas Vidas que, assim, como o Sol nasce e se põe, durante o dia, similar acontece conosco.
Nos sentimos em um entardecer,entre as alegrias e certezas de outrora e as mudanças do agora, tal como quando o dia finda para dar lugar à noite.
A noite das incertezas, dos finais, do que está por vir.
Com o anoitecer de nossa existência,surgem as dúvidas ,os temores e a necessidade de se recolher em nossa própria escuridão, viver a noite de nossa existência.
Por vezes a noite, parece não terminar, se torna um longo processo, no qual, percebemos que dormimos, acordados e acordados, dormimos.
Buscamos não pensar e no silêncio, verdadeiramente, despertar, para,novamente,ver o Sol ,em nossas Vidas raiar !
E,enquanto o amanhecer não acontece, iluminamos nossa Noite, através da Luz que habita o nosso interior, tendo contato com nossas sombras.
Passamos a enxergar aquilo que estava escondido, nossas ilusões, preconceitos e crenças ultrapassadas e que a Vida com seus acontecimentos, trouxe à tona, para nos mostrar !
Quando a noite irá acabar?
O que acontecerá, quando o dia clarear?
Não existe tempo e espaço para a Alma !
Existe o aqui e agora, a nossa Eternidade, experiência, aprendizado, expansão, descoberta e despertar !
Quando o novo dia surgir e o Sol brilhar se viverá uma nova etapa, na qual muitas verdades irão se revelar e a nossa Alma com mais Liberdade e Consciência irá viver e se expressar !
Por Deise Aur

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sejamos como as crianças e os animais ! // Texto de Flavio Siqueira // Não seja agnóstico, nem ateu, nem cristão, nem budista, nem teísta, nem humanista, nem capitalista, nem comunista, nem nada que lhe roube a liberdade para crer, descrer, construir e, se for o caso, desconstruir. Ande com as próprias pernas ou quem sabe voe com suas próprias asas. Que a paz seja seu árbitro na caminhada e a consciência a estrada que lhe projeta sobre o caminho do entendimento e da liberdade. Sejamos como as crianças, os animais, os simples de coração. Eles não tem “ismos” nenhum, não defendem nenhuma tese, nem doutrinas, não se incluem em teoria alguma, no entanto seguem puros em sua ignorância iluminada, na paz de quem sabe, mesmo sem saber que sabe. Felizes, pacificados, alheios às nossas tolas filosofias e discussões, atentos em simplicidade ao que realmente importa. Sejamos livres ! - flaviosiqueira.com

INFINITA PRESENÇA